JUNHO VIOLETA

Seprev disponibiliza atendimento para pessoas idosas vítimas de violência

Núcleo, localizado nas Casas de Direitos, em Maceió e Arapiraca, ganham destaque neste dia 15 de junho, Dia Mundial de Combate à Violência contra o Idoso

Everton Dimoni

quarta, 15 de junho de 2022 às 16h40

35

Victor Lopes

Texto de Everton Dimoni

Fotos de Victor Lopes

15 de junho é o Dia Mundial da Conscientização da Violência Contra a Pessoa Idosa. A data foi instituída em 2006 pela Organização das Nações Unidas (ONU) e pela Rede Internacional de Prevenção à Violência à Pessoa Idosa (INPES) como marco em que a sociedade civil e o Poder Público manifestam oposição aos abusos praticados contra pessoas com 60 anos ou mais.

Segundo a Organização Mundial da Saúde (OMS), situações de violência contra as pessoas de mais idade são ações ou omissões que prejudicam a integridade física e emocional da pessoa, impedindo assim o desempenho de seu papel social. Na maioria das vezes, esse tipo de violência acontece no ambiente doméstico e é praticado por pessoas próximas da vítima, como filhos, cônjuges ou netos. Uma realidade frequente e que precisa ser combatida.

No Brasil, onde a população idosa ultrapassa a marca dos 30 milhões, a campanha é evidenciada durante todo o mês com o tema do Junho Violeta. Em Alagoas, a Secretaria de Estado de Prevenção à Violência (Seprev) fortalece esse movimento com ações de conscientização e mobilização sobre o tema coordenadas pelos Núcleos de Atendimento à Pessoa Idosa (NAPI), pertencentes às Casas de Direitos de Maceió e Arapiraca.

Segundo a assistente administrativa do NAPI Maceió, Karoline Moura, a campanha aborda medidas para prevenir situações de violência, negligência e abuso contra os idosos e chama a atenção da sociedade para a importância da denúncia no combate a esse tipo de violação de direitos. O movimento é também uma oportunidade de divulgar os atendimentos oferecidos pelo NAPI aos idosos vítimas de violência.

“Vamos trabalhar o combate à violência contra o idoso durante todo o mês de junho lembrando às pessoas que elas podem procurar ajuda e que não precisam ter medo de denunciar. A denúncia é o primeiro passo para o combate à violência contra o idoso e pode ser feita de forma anônima. Mesmo assim, caso aconteça esse tipo de violência, nós contamos com uma escuta ativa e com uma equipe preparada para estudar o caso e resolver da melhor forma possível para o idoso”, explica.

Carolline Vieira, psicóloga do NAPI Maceió, alerta que as formas mais comuns de violência contra idosos são: violência física, psicológica, institucional, patrimonial, abuso financeiro, discriminação e negligência. Ela ressalta ainda que a Seprev promove a assistência integral a vítimas desses tipos de violência por meio da Casa de Direitos, onde cada caso é avaliado individualmente.

“A gente busca visualizar qual é o problema presente naquela casa, se é violência física, se é negligência, abandono, entre outros. Então a equipe entra em ação para mediar o conflito na Casa de Direitos e deixar os filhos ou responsáveis cientes de suas responsabilidades. Se mesmo assim não houver acordo, a equipe aciona o Ministério Público ou a Defensoria Pública do Estado que dará prosseguimento às medidas cabíveis”, afirma.

NAPI

Os serviços oferecidos pelo NAPI incluem atuação na mediação e conciliação de conflitos, assessoria jurídica voltada para os direitos da pessoa idosa, intermediação e encaminhamento aos órgãos jurídicos competentes, articulação junto aos órgãos assistenciais de proteção ao idoso, atendimento psicossocial, entre outros.

Um dos casos mais chocantes atendidos pelo NAPI aconteceu em Arapiraca, no mês passado, quando um idoso de 68 anos foi resgatado em situação de maus tratos e negligência. A circunstância era ocasionada pela própria família, alegando que o idoso era de difícil convívio.

No local, foi constatado que o idoso se encontrava alojado no quintal da casa, deitado sem roupas em um sofá molhado. Além disso, o espaço era coberto por telhas de amianto e compartilhado com galinhas e um cachorro, completamente inadequado para um idoso. A situação era agravada pelo fato de o idoso ter diabetes e ser amputado de membro inferior. 

Para quem busca esse serviço, o Núcleo de Atendimento à Pessoa Idosa em Maceió funciona na Casa de Direitos, localizada na Praça do Mirante do Jacintinho, com atendimento disponível das 8h00 às 17h00. Já em Arapiraca, o NAPI funciona na Casa de Direitos, situada na Rua João Paulo II, 50, no bairro Alto do Cruzeiro, também de segunda à sexta-feira, das 8h00 às 17h00.

Imagens do Álbum


Últimas Notícias