REDE ACOLHE

Especialista em dependência química da Seprev alerta para os riscos do uso abusivo do álcool

Psicólogo comenta sobre o consumo perigoso de bebidas alcoólicas

Everton Dimoni

sexta, 25 de agosto de 2023 às 22h50

272

Vitor Beltrão

Texto de Everton Dimoni

Foto de Vitor Beltrão

O álcool é uma droga lícita, socialmente aceita, de fácil acesso e a mais vendida no mundo. Contrapondo-se a isto, uma análise inédita feita a partir de um inquérito nacional e de um teste da Organização Mundial da Saúde (OMS) mostrou que seis milhões de brasileiros, ou 4% da população adulta, tem um padrão que indica consumo perigoso de bebidas alcoólicas.

Os dados foram extraídos do Covitel (Inquérito Telefônico de Fatores de Risco para Doenças Crônicas Não Transmissíveis em Tempos de Pandemia), que ouviu nove mil brasileiros, de janeiro a abril de 2023, sobre vários fatores de risco para doenças crônicas, entre eles o consumo de álcool.

Para o psicólogo especialista em dependência química da Secretaria de Estado de Prevenção à Violência (Seprev), Junior Amaranto, alguns hábitos acendem o alerta para os riscos de dependência decorrente do consumo abusivo de bebidas alcoólicas.

“Muitas pessoas acreditam que só vão ficar felizes e se divertir a contento se tomar uma cervejinha a mais, o que não é verdade. Outra situação é a pessoa não saber o momento de parar e mesmo em estado de embriaguez continuar bebendo compulsivamente. São sinais que mostram uma tendência à dependência química. É preciso tomar muito cuidado”, explica.

A Rede Acolhe, programa para tratamento de dependentes químicos do Governo de Alagoas, registrou um aumento de 12% no número de dependentes químicos encaminhados para comunidades acolhedoras nos primeiros seis meses de 2023, em comparação ao mesmo período do ano passado. De acordo com Junior Amaranto, a maior parte dos atendimentos tem relação com o abuso de bebidas alcoólicas.

“Por ser uma droga de fácil acesso, o álcool sempre está presente, mesmo quando a pessoa já faz uso de outras substâncias psicoativas, como maconha, cocaína ou crack. Essa é uma realidade que faz parte da vida de milhões de pessoas em todo o mundo. Por isso, o apoio de uma equipe profissional é tão importante”, ressaltou.

Atendimento

A ajuda profissional pode ser um fator decisivo para quem deseja vencer a dependência química. Se você busca atendimento em uma das comunidades acolhedoras credenciadas ao Governo de Alagoas, a assistência pode ser feita em um dos três Centros de Acolhimento, em Maceió, Arapiraca e Santana do Ipanema, ou agendando uma visita das equipes técnicas pelo número 0800.280.9390.


Últimas Notícias