RECOMEÇO

Com vacinação de adolescentes e professores, socioeducandos de AL retornam às aulas presenciais

Rotina escolar nas unidades de internação foi modificada para atender aos protocolos sanitários

quinta, 26 de agosto de 2021 às 16h25

107

Texto de Everton Dimoni

Adolescentes e jovens atendidos pelo Sistema Socioeducativo de Alagoas retornaram às aulas presenciais após um ano e cinco meses de paralisação por causa da pandemia. A retomada acontece após a imunização completa dos socioeducandos e profissionais da Educação, que também já estão protegidos com as duas doses da vacina contra a Covid-19.

Em Alagoas, o público socioeducativo é assistido pela Escola Estadual Educador Paulo Jorge dos Santos, que paralisou as atividades presenciais em março de 2020 como medida restritiva de enfrentamento ao novo coronavírus. O cronograma letivo foi, então, implementado com atividades remotas até o retorno das aulas presenciais na rede estadual de ensino.

Para a estudante do ensino médio L.E.S.S., de 20 anos, a retomada traz novo ânimo para as meninas da Unidade de Internação Feminina, que fica no bairro da Serraria, em Maceió. Ela conta que a turma comemorou o retorno das atividades presenciais e comenta a importância do estudo para o desenvolvimento pessoal e a conquista de novos objetivos.

“É gratificante voltar à sala de aula, poder tirar dúvidas e discutir pessoalmente com o professor. Todas ficamos muito felizes com o retorno, pois sabemos que precisamos estudar para evoluir como pessoa e conquistar nossos sonhos no futuro. Já estou ansiosa para a aula de hoje”, disse a adolescente.

A gerente de Desenvolvimento Integral da Superintendência de Medidas Socioeducativas (Sumese), Cassia Moreno, ressalta que a educação é a base da medida socioeducativa e que a didática “corpo a corpo” é fundamental para o desenvolvimento cognitivo dos alunos.

“A essência da educação precisa ser corpo a corpo, acontecer todos os dias e de forma continuada. Estamos de volta ajustando o cronograma para que o ano letivo seja continuado, porque quando o movimento educacional está presente na rotina do jovem ou do adolescente, faz toda diferença para o seu desenvolvimento”, afirmou.

Para regularizar a situação escolar dos socioeducandos, a equipe pedagógica da Sumese iniciou o processo de busca ativa por documentação com visitas domiciliares em Maceió e em cidades do interior. O projeto “Aluno envia” tem ajudado as famílias em situação de vulnerabilidade social que têm dificuldade de encaminhar documentos e efetivar a matrícula do docente, além de encaminhar a documentação dos egressos a seus domicílios.

“Nós vamos à casa do socioeducando e conversamos com os seus familiares para reunirmos toda a documentação escolar. Então a gente prepara a pasta do aluno para que, após o cumprimento da medida, ele leve consigo todo o registro para dar continuidade à sua formação escolar após o cumprimento da medida”, explica Cássia Moreno.

Cuidados sanitários

A rotina escolar dentro das unidades de internação foi modificada e a retomada das aulas segue todos os cuidados sanitários para prevenção à Covid-19. As medidas incluem o uso de máscara de proteção, distanciamento social entre alunos e professores, higienização constante das mãos e sanitização das salas de aula.

Imagens do Álbum


Últimas Notícias