SOCIOEDUCAÇÃO

Adolescentes em cumprimento de medidas socioeducativas transformam barras de sabão em peças de arte

Mostra serve de incentivo à descoberta de novos talentos, e estimula a socialização dos adolescentes

Everton Dimoni

quarta, 07 de fevereiro de 2024 às 16h50

54

Everton Dimoni

Texto e fotos de Everton Dimoni

Um produto de baixo custo e facilmente modelável recebeu uma nova utilidade no Complexo Socioeducativo de Maceió. O sabão virou matéria-prima para a criação de peças de arte, que são produzidas pelos adolescentes da Unidade de Internação Masculina Extensão 3 (UIME 3).

A primeira exposição de artes dos adolescentes oriundos do Sistema Socioeducativo de Alagoas aconteceu nesta quarta-feira (7), e contou com produções de vários socioeducandos. A iniciativa foi viabilizada pela Secretaria de Estado de Prevenção à Violência (Seprev), que coordena esta medida de proteção por meio da Superintendência de Medidas Socioeducativas (Sumese).

“É muito bonito você ver um produto como o sabão se transformar em uma obra de arte tão maravilhosa, algo que você nem imagina que seja feito a partir de um material tão simples. Após trabalhar na modelagem, os adolescentes agregam o verniz, a tinta e trazem vida para a peça”, comenta a gerente de Desenvolvimento Integral da Seprev, Cássia Moreno.

Sobre a exposição, Cássia Moreno explica que o objetivo vai além de apresentar o que é produzido pelos adolescentes. A mostra serve de incentivo à descoberta de novos talentos, e estimula a socialização dos adolescentes privados de liberdade.

“Além das habilidades manuais e da produção artística em si, a modelagem do sabão revela o potencial dos adolescentes em uma construção rica em detalhes. No manejo da matéria-prima, o socioeducando interage com os outros e desenvolve talentos que nem ele mesmo sabia que existia”, afirma a gerente.

O superintendente de Medidas Socioeducativas, Otávio Rego, ressalta que o processo criativo contribui para a formação plena dos adolescentes, levando-os a desenvolver a criatividade, o raciocínio, entre outras habilidades fundamentais para a vida adulta. Ele diz ainda que a ideia é realizar outras exposições ao longo do ano e agregar novas matérias-primas que estimulem o desenvolvimento dos adolescentes.

“A neurociência mostra que a produção artística melhora até mesmo o seu potencial de pensamento, de realização de atividades e a resolução de problemas em situações sociais. São competências que precisam ser estimuladas no adolescente para que ele obtenha êxito na vida adulta”, afirmou o superintendente.

Imagens do Álbum


Últimas Notícias